Quem sou eu na multidão?

A Liturgia nos convida e nos encaminha para o mistério da Semana Santa, e nos leva a questionar: Quem sou eu no meio da multidão que acompanha Jesus? Sou meramente um curioso que segue o fluxo para ver o que acontece? Sou aquele que se preparou na Quaresma e que, com Jesus no deserto, foi tentado, mas aprendeu a resistir às tentações? Sou aquele que com Jesus me alegrei e, com confiança, levei flores à sua Cruz, reconhecendo que ela não é o fim? Sou aquele que se esforçou para se alicerçar no Senhor por meio da oração, do jejum e da esmola? Sou aquele que sigo os seus passos até o fim? Sou aquele que farei a Via Sacra, o caminho da Cruz?

Neste tempo, somos os que já conhecem a história. Não somos a multidão de 2000 anos atrás; somos a multidão de hoje, do ano de 2018. Como quem devemos ser nessa multidão? Devemos ser como profetas, que não desanimarão com as dificuldades; como aqueles que na multidão assumem a condição de servo; se humilham e obedecem como o seu Senhor, para a Glória de Deus.

Quem foge da cruz está buscando a sua própria glória. Quem esquece e deixa de lado o verdadeiro sentido da Semana Santa está buscando a sua própria glória. Só quem se prepara ou se preparará, viverá e verá a Páscoa do Senhor.

Aos que não se prepararam, comecem hoje! Não nos acomodemos. Vivamos como católicos a Semana que nos foi preparada para que, também nós, reconheçamos o Senhor. “Na verdade, este homem era o Filho de Deus!” (Mc 15,39).

“Maria Madalena e Maria, mãe de José, observavam onde depositaram Jesus descido da Cruz” (Mc 16,1). É tempo de observarmos e vivermos na fé, em silêncio, cada detalhe dessa Semana.

Homilia do Pe. Reginaldo Albuquerque, pároco
Síntese por: Camila Soares/Pascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *