A Missa dos Santos Óleos antecede o início do Tríduo Pascal na Arquidiocese de Palmas. A celebração será presidida pelo arcebispo metropolitano de Palmas, Dom Pedro Brito, com a presença de todo seu presbitério, na quarta-feira santa, dia 17 de abril, às 19h30 na Casa de Maria. Nesta missa tradicional os óleos utilizados nos sacramentos do Batismo e da Unção dos Enfermos serão abençoados pelo arcebispo, que também irá consagrar o óleo do santo crisma utilizado no Sacramento da Confirmação. 

A unção do Espírito Santo derramada nos corações dos filhos de Deus.

Conforme o costume oriental, a unção é um símbolo da hospitalidade. Desse modo, os santos óleos são estão presentes nos ritos da iniciação Cristã Católica como sinal do acolhimento de Deus, e da Santa Mãe Igreja que abre as suas portas da vida sacramental para seus filhos. Sobretudo, a unção é uma “marca” que imprime o selo espiritual: símbolo do Espírito Santo, da providência, autoridade e propriedade que Deus exerce na vida dos batizados, tornando-os autênticos como Jesus Cristo, “pois Deus, o Pai, o marcou com seu selo” (Jo 6, 27).

A unção faz irradiar beleza, saúde e força, e todos os seus significados estão voltados para a vida sacramental. No simbolismo bíblico, o óleo é sinal de abundância e de alegria, do Espírito Santo derramado no coração, como canta o salmista: “unges minha cabeça com óleo, e minha taça transborda” (Sl 23). O óleo também é usado como sinal de cura, de Deus que se aproxima como o bom samaritano que “cuidou das chagas derramando óleo e vinho” (Lc, 10,34). 

Cristo é chamado “o ungido”, o Messias anunciado e prometido, Aquele “sobre quem repousaria o Espírito do Senhor” (Is 11,2). Concebido do Espírito Santo no seio virginal de Maria, toda a vida e missão de Jesus é realizada em comunhão total com o Espírito que o Pai lhe dá “sem medida” (Jo 3,34).

“Nele também vós, tendo ouvido a Palavra da Verdade – o Evangelho da vossa Salvação – e nela tendo crido, fostes selados pelo Espírito da promessa, o Espírito Santo, que é o penhor da nossa herança” (Ef 1,13-14), essa é uma promessa feita à fé, cuja sua realização só pode ser percebida e acolhida pela fé na pessoa e obra de Jesus-Salvador.

Por Henrik Cecílio/Pascom